19 de Agosto – O dia para refletir

De acordo com a Agência do Senado, anualmente o “Dia do Ciclista” deve ser celebrado no dia 19 de agosto. A data se deu após a morte de Pedro Davison, em 2006, atropelado por um automóvel no Eixo Rodoviário Sul (em Brasília) aos 25 anos de idade. O motorista que atropelou Pedro Davison dirigia alcoolizado e em alta velocidade.

Por esses motivos, a morte de Pedro deve ser refletida e não celebrada.

Em São Paulo, ciclistas e familiares estão de luto. Nos últimos dias, mortes envolvendo ciclistas e um pedestre, e atropelamentos por imprudência merecem respeito. O respeito pela vida, e uma reflexão sobre o comportamento humano ao ter domínio sobre qual for a máquina. Uma bicicleta, um carro, um ônibus, uma carreta, um skate ou patins, são veículos onde seu funcionamento depende de uma dominação. E que, infelizmente, o ser humano tão confiante de si mesmo não percebe e não está pronto para dominá-los. Hoje, a cena mais comum que vemos nas ruas é motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas guiando-os como se estivessem sentados no sofá assistindo TV.

Ciclistas: não devemos e não podemos levar para as ruas, ciclovias e ciclofaixas, os comportamentos do trânsito que nos fazem de vítimas. Da mesma maneira que exigimos respeito dos motoristas, devemos respeitar pedestres e demais ciclistas nas vias. Como também, devemos respeitar motoristas e motociclistas. Exigimos vias próprias, exigimos respeito, exigimos e nos impomos nas ruas como meios de transporte, então, que faça desse meio o melhor meio, para ser respeitado e saber respeitar. Ciclovias e ciclofaixas não são vias de competição, ciclovias e ciclofaixas são vias compartilhadas. Da mesma forma que você pode pedalar nas ruas, entre carros e motocicletas, os pedestres podem usar ciclovias e ciclofaixas para se locomover. Levando em consideração, também, a má manutenção das calçadas. Os pedestres por sua vez, também se sentem mais seguros caminhando pelas ciclovias e ciclofaixas da cidade. Aparentemente, as vias para ciclistas são mais acessíveis para os pedestres. Se você optou pela bicicleta, saiba também, que em pé e nas ruas existem vidas a serem respeitadas. Da mesma maneira que você pode, com cautela e por algum motivo de segurança, usar a calçada para se locomover, o pedestre também pode preferir usar as vias de bicicleta para caminhar. Sobre o semáforo, respeite-o como veículo, por mais que também seja inseguro para você. Salva sua vida, e de pedestres que estão atravessando. Existem lugares próprios para correr, as ruas não são velódromos. Por isso ciclistas, deixem de lado esse comportamento ciclo-carrocrata, prejudica a você e demais que usam as ruas da cidade.

Por todas essas palavras, que essa data em que lembramos Pedro (o ciclista atropelado em 2006), sejamos responsáveis nas ruas. Seja você ciclista, pedestre, motorista, motociclista, caminhoneiro ou perueiro (motorista de ônibus de pequeno porte). Somos e temos vida, esteja ela sendo movida por um motor ou pelas próprias pernas. Essa reflexão teve como base depoimentos e reflexões partindo da publicação de Ivson Miranda, em seu perfil social.

Parabéns ciclista, e que esse dia (não só nesse) nos leve a uma única reflexão: sejamos prudentes!

Equipe Bike Zona Sul

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s