BZS nas eleições 2016: João Dória (PSDB)

No começo do ano o EL PAÍS Brasil entrevistou o (então) pré-candidato João Dória do PSDB. Baseado nessa entrevista, o Bike Zona Sul fez uma análise da entrevista!

Na nossa análise, alguns trechos foram selecionados e comentados, leia abaixo! Ah, nosso post tem vários links embutidos, pode clicar que eles vão abrir em uma nova aba para vc não perder essa página!

El País Brasil: “Uma das bandeira dele foram as ciclovias. Como você avalia essa política pública de mobilidade?”
João Dória: “É uma política acertada, eu vou defender a manutenção das ciclovias.”
Bike Zona Sul: Ele disse que vai “defender a manutenção”, ou seja, vai cuidar das existentes, mas não necessariamente expandi-las como precisamos!

JD: “O que eu tenho como crítica é que houve uma implantação acelerada, houve um açodamento nessa implantação com o objetivo de alcançar metas de quilometragem de ciclovias, e nisso vários equívocos acabaram sendo cometidos. Primeiro teve um efeito no custo, o mau planejamento sempre estabelece custos mais elevados.”
BZS: Segundo a lei municipal (http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/emenda ), todo candidato tem que estabelecer metas ao ser eleito, para que a população tenha parâmetros para avaliar a gestão. Por isso a meta existe, o fato de ela ter um prazo obrigou o pode público e a sociedade a se mobilizarem pela causa, o que resultou nas novas ciclovias. Além disso, os erros iniciais ou pontuais são corrigidos assim que são notados. Um programa que planeja ciclovias numa cidade de mais de 12 milhões de habitantes possui falhas, como qualquer um dessa magnitude, mas isso não desqualifica o programa. Quanto aos valores, o candidato precisa se informar melhor, nós sugerimos que leia esta matéria do Vá de Bike.

JD: “Depois, ciclovia e ciclofaixas colocadas em áreas onde não há ciclistas ou áreas de risco para ciclistas, pedestres, transeuntes e até usuários de outros veículos. Imaginar que em várias áreas da cidade as ciclofaixas estão pintadas em cima de calçadas… ”
BZS: Ciclovias e ciclofaixas em áreas onde não há ciclistas estimulam novos ciclistas, como a pesquisa da Ciclocidade mostrou: na ciclovia da Avenida Faria Lima passam 1941 pessoas por dia, onde antes não passava nenhum ciclista, isso é equivalente a 139 ciclistas por hora. Como disse Ray Liotta no filme Field of Dreams (“O Campo dos Sonhos”, 1989): “Construa e eles virão”.

JD: “Talvez nem ele saiba, porque como ele não frequenta a periferia, ele talvez não saiba que vários quilômetros de calçadas foram pintadas como ciclofaixas.”
BZS: A maioria das ciclofaixas feitas sobre calçadas só foi feita após a expansão das calçadas e possui toda sinalização de ciclofaixa E calçada ou de calçada compartilhada, como exige o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), vide fotos da Ponte das Bandeiras e Jardim Helena, por exemplo.

JD: “Mas o programa é bom, é uma boa iniciativa e será mantida.”
BZS: O candidato diz que vai manter o programa, mas não fala em expandí-lo. Caso ele se torne o candidato do PSDB devemos cobrá-lo sobre a expansão e novas metas para o Ciclovia SP.

El País Brasil: “Caso eleito, qual será sua primeira medida como prefeito?”
João Dória: “Voltar a velocidade normal nas marginais, para dar uma declaração clara do absurdo que foi feito, da falta de consciência e de planejamento. Isso vai ser uma demonstração clara de mudança e transformação. Nas marginais, as velocidades vão voltar ao que eram antes.”
Bike Zona Sul: Assim que ele fizer isso as colisões e mortes vão aumentar de novo. Um dos grandes feitos da última gestão foi a redução das velocidades máximas, o que evitou mortes e melhorou a fluidez do trânsito, as próprias Marginais mostram isso (vejam no link: http://g1.globo.com/…/lentidao-nas-marginais-caiu-10-com-re… ). Um exemplo prático de como a redução da velocidade máxima melhora na fluidez pode ser visto nesse vídeo do Departamento de Transportes de Washington (https://www.youtube.com/watch?v=8G7ViTTuwno ).

EP: “De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), após a implantação da medida as mortes no trânsito caíram 18,5% no primeiro semestre de 2015…”
JD: “A razão não foi essa. A queda ocorreu fundamentalmente devido à redução sensível do número de veículos transitando nas marginais. A volta da velocidade normal será uma demonstração clara da busca da eficiência de colocar São Paulo na dimensão de uma megametrópole.”
BZS: Várias pessoas usam esse argumento, mas ele não tem nenhuma base já que não existem dados precisos sobre a quantidade de veículos. Porém a lógica explica que dirigindo a uma velocidade menor o condutor tem mais tempo para raciocinar ao ver um problema como uma batida a sua frente, por isso as colisões e mortes diminuíram com a redução da velocidade máxima.

Veja a entrevista completa aqui.

#BikeZonaSul #CicloviasSalvamVidas #VaiTerCiclovia

#PrioridadeParaOsPedestres #CidadesParaPessoas #CitiesForPeople #SãoPauloPrasPessoas

(Equipe Bike Zona Sul: Alex Gomes, Alexandre Liodoro, Carla Moraes, Diego Brea, Ianca Loureiro, Marivaldo Lopes, Paulo Alves e Thomas Wang)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s