Como conectar as ciclovias em volta do Parque do Povo

Observações:
1. O post tem links, mas pode clicar que eles vão abrir em novas guias, assim vc não perde esse post 😉
2. para não complicar vamos chamar todas as vias de ‘rua’, independente de serem avenidas, alamedas, ruas, etc…

O entorno do Parque do Povo possui algumas ciclovias e ciclofaixas, mas nem todas estão ligadas. Neste post falamos das existentes (vermelho) e também sugerimos outras, separando nas mais urgentes (verde) e em outras necessárias (azul escuro). Veja mais abaixo!

A INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA ATUAL

1
Mapa da infraestrutura atual (Fonte: CET)
  1. Ciclovia da Av. Brigadeiro Faria Lima: uma das mais movimentadas de São Paulo, elevada no canteiro central da avenida. Cerca de 3 mil ciclistas passam por ela todos os dias.
  2. Ciclovias da Rua Olímpiadas / Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini: importante ligação das zonas Sul e Oeste, elevada no canteiro central, junto ao corredor de ônibus.
  3. Ciclofaixa da Rua Professor Artur Ramos: bidirecional, liga a ciclopassarela que dá acesso à Ciclovia Rio Pinheiros (4), mas é necessário usar uma passarela para pedestres por cima da Av. Cidade Jardim.
  4. Ciclovia Rio Pinheiros: ligação direta das zonas Sul e Oeste, porém possui poucos acessos e está interditada em alguns trechos devido às intermináveis obras do Metrô.
  5. Ciclofaixa da Av. Lineu de Paula Machado: bidirecional, liga ciclofaixas da região do Jardim Guedala ao Butantã/Morumbi (6) e às pontes Eusébio Matoso (que deveria ter uma ciclopassarela) e Cidade Jardim/Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo.
  6. Ciclofaixas Morumbi/Jardim Guedala: trechos bidirecionais e monodirecionais, importantes para conectar o Terminal Butantã com a Av. Lineu de Paula Machado (5), a USP e a ciclovia da Av. Eliseu de Almeida.
  7. Ciclofaixa da Rua Amarilis: começa na Rua Eng. Oscar Americano e vai até a Rua Pedro Avancine. A Prefeitura tentou apagar de forma ilegal, mas cicloativistas pintaram novamente. Até agora não foi sinalizada pela Prefeitura.

AS CONEXÕES ESSENCIAIS

2

  1. Ponte Cidade Jardim / Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo: trecho mais perigoso da região, muitos dos ciclistas que se deslocam do Morumbi, Panamby, Osasco e outros bairros ‘além’ do Rio Pinheiros passam por ali todos os dias. Poderia ligar as ciclofaixas da Lineu de Paula Machado, os dois lados da Ciclovia Rio Pinheiros e a ciclopassarela do Parque do Povo.
  2. Parque do Povo / R. Brigadeiro Haroldo Veloso: as ruas Brigadeiro Haroldo Veloso poderia ligar a ciclopassarela do Parque do Povo e Rua Funchal/Berrini. Já as ciclofaixas das ruas Tabapuã e Horácio Laffer ligariam a Brigadeiro Haroldo Veloso com a ciclovia da Faria Lima.
  3. Rua Engenheiro Oscar Americano: ligaria a ciclofaixa da Amarilis com a ciclofaixa da Lineu de Paula Machado.
  4. Rua Alvarenga – Av. São Valério: conectaria o sistema do Jardim Guedala à Lineu de Paula Machado e Butantã de forma mais prática. Atualmente o ciclista tem que dar várias voltas entre as duas pontas, então uma ligação direta seria bem útil.

OUTRAS CICLOVIAS/CICLOFAIXAS QUE SERIAM ÚTEIS

3

  1. Av. dos Tajurás: poderia ser implantada no canteiro central, como ciclovia elevada ou ciclofaixa junto aos canteiros. Protegeria ciclistas que não conhecem a Lineu de Paula Machado ou não desviam até ela por causa do seu destino.
  2. Parque Alfredo Volpi: ligaria as ciclofaixas da Amarilis com as do Jardim Guedala/Morumbi, fornecendo um caminho seguro para quem se desloca entre o Paineiras do Morumbi e o Butantã. Também seria usada para acessar o parque, o que favoreceria ciclistas de lazer e iniciantes.
  3. Av. Nove de Julho: ligaria o Parque do Povo (e todas ciclovias/ciclofaixas que chegam nele) à ciclofaixa da Rua Honduras e ciclovia da Avenida Paulista (passando pela Alameda Campinas). Pode ser feita ao lado direito das pistas, como a ciclofaixa da Rua da Consolação.
  4. Av. Juscelino Kubitschek: ligaria o Parque do Povo (e todas ciclovias/ciclofaixas que chegam nele) ao Parque do Ibirapuera de forma direta. Poderia ser uma ciclovia elevada no canteiro central ou ciclofaixa junto a ele. Os pontos mais críticos seriam os cruzamentos com a Faria Lima e Av. Santo Amaro.

É possível perceber que a região possui alguma infraestrutura para ciclistas, mas que ela ainda não está conectada. Temos várias ciclofaixas/ciclovias próximas, mas não existem ligações em pontos críticos, como a Ponte Cidade Jardim / Engenheiro Roberto Zucollo, muito utilizada pelos ciclistas mesmo tendo tráfego pesado.

Como é visível nas ruas, a quantidade de ciclistas aumenta todos os dias, por isso é necessário continuar investindo em infraestrutura cicloviária. Somente com mais ciclovias e ciclofaixas vamos ter a segurança necessária para proteger as pessoas.

Não queremos perder outros amigos por causa da imprudência, ciclovias são necessárias. Além disso, precisamos educar os motoristas e fiscalizar/punir os infratores. Somente dessa forma teremos uma São Paulo melhor e mais humana.

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)

#BikeZonaSul  #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas
#CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul

Anúncios

Um comentário em “Como conectar as ciclovias em volta do Parque do Povo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s