Como conectar as ciclovias em volta do Parque do Povo

Observações:
1. O post tem links, mas pode clicar que eles vão abrir em novas guias, assim vc não perde esse post 😉
2. para não complicar vamos chamar todas as vias de ‘rua’, independente de serem avenidas, alamedas, ruas, etc…

O entorno do Parque do Povo possui algumas ciclovias e ciclofaixas, mas nem todas estão ligadas. Neste post falamos das existentes (vermelho) e também sugerimos outras, separando nas mais urgentes (verde) e em outras necessárias (azul escuro). Veja mais abaixo!

A INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA ATUAL

1
Mapa da infraestrutura atual (Fonte: CET)
  1. Ciclovia da Av. Brigadeiro Faria Lima: uma das mais movimentadas de São Paulo, elevada no canteiro central da avenida. Cerca de 3 mil ciclistas passam por ela todos os dias.
  2. Ciclovias da Rua Olímpiadas / Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini: importante ligação das zonas Sul e Oeste, elevada no canteiro central, junto ao corredor de ônibus.
  3. Ciclofaixa da Rua Professor Artur Ramos: bidirecional, liga a ciclopassarela que dá acesso à Ciclovia Rio Pinheiros (4), mas é necessário usar uma passarela para pedestres por cima da Av. Cidade Jardim.
  4. Ciclovia Rio Pinheiros: ligação direta das zonas Sul e Oeste, porém possui poucos acessos e está interditada em alguns trechos devido às intermináveis obras do Metrô.
  5. Ciclofaixa da Av. Lineu de Paula Machado: bidirecional, liga ciclofaixas da região do Jardim Guedala ao Butantã/Morumbi (6) e às pontes Eusébio Matoso (que deveria ter uma ciclopassarela) e Cidade Jardim/Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo.
  6. Ciclofaixas Morumbi/Jardim Guedala: trechos bidirecionais e monodirecionais, importantes para conectar o Terminal Butantã com a Av. Lineu de Paula Machado (5), a USP e a ciclovia da Av. Eliseu de Almeida.
  7. Ciclofaixa da Rua Amarilis: começa na Rua Eng. Oscar Americano e vai até a Rua Pedro Avancine. A Prefeitura tentou apagar de forma ilegal, mas cicloativistas pintaram novamente. Até agora não foi sinalizada pela Prefeitura.

AS CONEXÕES ESSENCIAIS

2

  1. Ponte Cidade Jardim / Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo: trecho mais perigoso da região, muitos dos ciclistas que se deslocam do Morumbi, Panamby, Osasco e outros bairros ‘além’ do Rio Pinheiros passam por ali todos os dias. Poderia ligar as ciclofaixas da Lineu de Paula Machado, os dois lados da Ciclovia Rio Pinheiros e a ciclopassarela do Parque do Povo.
  2. Parque do Povo / R. Brigadeiro Haroldo Veloso: as ruas Brigadeiro Haroldo Veloso poderia ligar a ciclopassarela do Parque do Povo e Rua Funchal/Berrini. Já as ciclofaixas das ruas Tabapuã e Horácio Laffer ligariam a Brigadeiro Haroldo Veloso com a ciclovia da Faria Lima.
  3. Rua Engenheiro Oscar Americano: ligaria a ciclofaixa da Amarilis com a ciclofaixa da Lineu de Paula Machado.
  4. Rua Alvarenga – Av. São Valério: conectaria o sistema do Jardim Guedala à Lineu de Paula Machado e Butantã de forma mais prática. Atualmente o ciclista tem que dar várias voltas entre as duas pontas, então uma ligação direta seria bem útil.

OUTRAS CICLOVIAS/CICLOFAIXAS QUE SERIAM ÚTEIS

3

  1. Av. dos Tajurás: poderia ser implantada no canteiro central, como ciclovia elevada ou ciclofaixa junto aos canteiros. Protegeria ciclistas que não conhecem a Lineu de Paula Machado ou não desviam até ela por causa do seu destino.
  2. Parque Alfredo Volpi: ligaria as ciclofaixas da Amarilis com as do Jardim Guedala/Morumbi, fornecendo um caminho seguro para quem se desloca entre o Paineiras do Morumbi e o Butantã. Também seria usada para acessar o parque, o que favoreceria ciclistas de lazer e iniciantes.
  3. Av. Nove de Julho: ligaria o Parque do Povo (e todas ciclovias/ciclofaixas que chegam nele) à ciclofaixa da Rua Honduras e ciclovia da Avenida Paulista (passando pela Alameda Campinas). Pode ser feita ao lado direito das pistas, como a ciclofaixa da Rua da Consolação.
  4. Av. Juscelino Kubitschek: ligaria o Parque do Povo (e todas ciclovias/ciclofaixas que chegam nele) ao Parque do Ibirapuera de forma direta. Poderia ser uma ciclovia elevada no canteiro central ou ciclofaixa junto a ele. Os pontos mais críticos seriam os cruzamentos com a Faria Lima e Av. Santo Amaro.

É possível perceber que a região possui alguma infraestrutura para ciclistas, mas que ela ainda não está conectada. Temos várias ciclofaixas/ciclovias próximas, mas não existem ligações em pontos críticos, como a Ponte Cidade Jardim / Engenheiro Roberto Zucollo, muito utilizada pelos ciclistas mesmo tendo tráfego pesado.

Como é visível nas ruas, a quantidade de ciclistas aumenta todos os dias, por isso é necessário continuar investindo em infraestrutura cicloviária. Somente com mais ciclovias e ciclofaixas vamos ter a segurança necessária para proteger as pessoas.

Não queremos perder outros amigos por causa da imprudência, ciclovias são necessárias. Além disso, precisamos educar os motoristas e fiscalizar/punir os infratores. Somente dessa forma teremos uma São Paulo melhor e mais humana.

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)

#BikeZonaSul  #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas
#CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s