Candidatos são convidados a assinar Carta de Compromisso com a Mobilidade Ativa

O Bike Zona Sul está apoiando a Rede Paulista de Entidades e Associações de Mobilidade Urbana na Campanha Mobilidade nas Eleições de São Paulo. Esse grupo reúne entidades ligadas à mobilidade urbana como a Ciclocidade, Sampa a Pé, União de Ciclistas Brasileiros, COMMU, dentre outros parceiros do Bike Zona Sul.

 

A Carta de Compromisso com a Mobilidade Ativa foi escrita de forma conjunta entre as entidades e busca priorizar o tema com os candidatos, tanto aos que concorrem no Poder Executivo (governador e presidente) quanto no Legislativo (deputados estaduais e federais).

A Carta está disponível no site da campanha (clique aqui!), onde também é possível solicitar que os seus candidatos assinem a Carta!

Caso você, como cidadão, queira apoiar a Cartam clique aqui!

Faltam cerca de 10 dias para as eleições, vamos cobrar nossos candidatos, precisamos de compromisso com a mobilidade urbana! A prioridade deve ser de pedestres, ciclistas e usuários do transporte coletivo!

Somente pressionando nossos representantes vamos conseguir mudar nosso país!

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)

#BikeZonaSul  #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas
#CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul

Anúncios

O que é a Câmara Temática de Bicicleta (CTB)

A Câmara Temática de Bicicleta (CTB) faz parte do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT), ligado à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) da Prefeitura Municipal de São Paulo. A CTB tem como objetivo “Construir uma política cicloviária para a cidade de São Paulo a partir do diálogo entre representações de ciclistas e o poder público municipal” (https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/regimento_interno_ciclistas_4_1435946756.pdf) . A equipe do BZS já representou a Zona Sul em três oportunidades, com Paulo Alves, Carla Moraes e, atualmente, Thomas Wang.

Além disso, a Câmara possui o papel de ajudar a definir a política cicloviária para a cidade, conforme consta no regimento:

  • Mediar a relação entre grupos locais de ciclistas com a gestão
  • Contribuir na mediação da relação entre o poder público e a sociedade civil
  • Realizar, pelo menos, um encontro no mínimo bimestral com a presença do Secretário Municipal de Transportes e um encontro no mínimo trimestral do Prefeito de SP
  • Pautar os encontros tanto com o Prefeito quanto com o Secretário

Os membros da CTB representam todas as regiões da cidade, além de entidades relacionadas ao tema. A Câmara Temática de Bicicleta é formada por 22 voluntários da sociedade civil, com paridade de gênero. Desses nomes, dois são titular e suplente da cadeira de ciclistas dentro do CMTT, enquanto 10 são representantes das cinco zonas de São Paulo, sendo 2 pessoas por região, e 10 são indicados pela Ciclocidade e CicloBr. A composição atual da Câmara Temática, bem como o seu regimento e outros dados, podem ser vista no site da Prefeitura e neste link. Os representantes da Câmara Temática de Bicicleta deveriam ter reuniões mensais com  técnicos da SMT e CET, além de, bimestralmente, com o Secretário de Mobilidade e Transportes e, trimestralmente, com o Prefeito de São Paulo.

Infelizmente a Prefeitura não tem dialogado até de forma efetiva com a CTB nem atendido suas sugestões, conforme mencionado na Carta Aberta da CTB à Prefeitura e à Sociedade Civil (leia a Carta aqui!). As ausências do secretário João Otaviano e do prefeito Bruno Covas (PSDB) em todas as reuniões internas mostram que ambos não tem valorizado o diálogo direto , algo prometido por eles após críticas às antigas gestões da Prefeitura. Vale lembrar que Bruno Covas prometeu apagar ciclovias “que só incomodam a população. Da mesma forma, Covas e Otaviano criaram uma proposta de plano cicloviário’ sem consulta à CTB e aos ciclistas, assim como impediram a entrada de ciclistas na apresentação do plano.

Apesar dessa inconsistência nos discursos e ações de Covas e Otaviano, os representantes regionais e das entidades continuam trabalhando na CTB, pois acreditam no diálogo e que avanços ainda são possíveis! As reuniões são mensais e abertas, fique ligado no Bike Zona Sul para ficar sabendo das próximas datas!

(Equipe Bike Zona Sul: Carla Moraes / Paulo Alves / Thomas Wang. Parceria: Sasha Hart)

#BikeZonaSul  #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas

#CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas

 

Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul

Ciclocidade promove Auditoria Cidadã da infraestrutura cicloviária

A Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo) está organizando a Auditoria Cidadã da infraestrutura cicloviária de São Paulo. Após uma chamada através das redes sociais, foram selecionados 6 coordenadores regionais, divididos entre as zonas Norte, Oeste, Leste 1 (‘norte da Leste’), Leste 2 (‘sul da Leste’), Sul 1 (Pinheiros até Parelheiros) e Sul 2 (Barra Funda e Centro até Jabaquara).

O Bike Zona Sul está coordenando as frentes Sul 1 e Sul 2, com Paulo Alves e Thomas Wang. O Sul 1 abrange a maior parte da Zona Sul, começando em Pinheiros e indo até Parelheiros e Capão Redondo. Isso inclui o importante eixo da Faria Lima-Berrini-Chucri Zaidan, um dos mais utilizados por ciclistas. Já a Sul 2 abrange a Barra Funda, o Centro e vai até o Jabaquara, na divisa com o Santo André, São Bernardo, São Caetano e Diadema (o famoso ‘ABCD Paulista’). O Sul 2 conta com importantes ciclovias como a da Rua da Consolação e a Avenida Paulista.

Na primeira reunião, realizada no dia 30 de agosto, a Ciclocidade e os coordenadores regionais se reuniram para discutir sobre o Índice de Desenvolvimento Cicloviário (IDECiclo). Esse índice foi criado pela Ameciclo, a Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife. Ele tem como objetivo avaliar a qualidade da infraestrutura cicloviária das cidades, sendo originalmente aplicado em Recife. Nesse encontro, a Ciclocidade apresentou o índice e os critérios técnicos foram debatidos pelos coordenadores regionais. Após a discussão, nos separamos em grupos e fizemos duas aplicações piloto da versão adaptada do índice.

Já no dia 01 de setembro tivemos o curso de formação para os aplicadores do índice, no MobiLab. Nesse dia a Ciclocidade, coordenadores e aplicadores de todas regiões de São Paulo. Todos envolvidos puderam se conhecer, compartilhar experiências do dia a dia e, mais uma vez, conversar sobre o IDECiclo. Os coordenadores e aplicadores puderam trocar experiências sobre suas regiões, assim como realizar ajustes nos times e nas áreas de aplicação.

Agora estamos na fase das avaliações, nas quais os aplicadores estão nas ruas avaliando as estruturas cicloviárias de São Paulo! Em breve teremos as avaliações para construir um material e ter uma visão de quais são as condições da malha cicloviária da nossa cidade! Fique ligado nas páginas da Ciclocidade e do Bike Zona Sul para novidades!

#CicloAuditoriaSP #MinhaCicloviaSP

( Equipe Bike Zona Sul: Paulo Alves e Thomas Wang / Parceria: Ciclocidade, AMEciclo e Aro27 Bike Café )

#BikeZonaSul  #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas
#CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul