Diego Brea

Meu nome é Diego Brea, tenho 32 anos, casado e moro na Vila Santa Catarina, sou analista, formado na área de TI.

Eu aprendi a pedalar com o meu pai desde criança, ele comprou a minha primeira bicicleta (parecida com Caloi Cross Aro R). Treinávamos na rua da Biblioteca pública do Jabaquara (Paulo Duarte). Depois de aprender a pedalar utilizei a bicicleta nos momentos de lazer durante as férias na praia (Peruíbe-Guaraú), no dia a dia passeando pelo Bairro. Aos finais de semana íamos em grupo, de molecada da rua, até o Ibirapuera pelo prazer de pedalar longe e aventura de conseguir chegar até lá.

Diego Brea

Utilizei bastante a bicicleta como lazer durante a infância e adolescência. Depois deste período só voltei a utilizá-la em 2008, quando consegui uma bolsa de estudo do governo espanhol para estudar na Universidade de Oviedo (Astúrias-Espanha). Em 2008, quando estava vivendo e estudando lá, comprei uma bicicleta ‘speed usada de um amigo mexicano que tinha terminado o doutorado e estava voltando para o México. A partir deste momento comecei a utilizar a bicicleta como meio de transporte para ir à Universidade e ao trabalho. Era o meu meio de transporte principal para me locomover dentro da cidade. Também quando morei e trabalhei em Ibiza continuei utilizando a bicicleta como meio de transporte. Era um bom meio para se locomover na cidade e passear pelas praias.

Quando retornei para São Paulo, em 2009, trouxe a bicicleta, mas fatores como a falta de segurança nas ruas para pedalar, o horário de trabalho noturno e sem a possibilidade de deixar a bicicleta no estacionamento da empresa me desmotivaram a continuar pedalando por São Paulo. Era completamente diferente dos incentivos que encontrei antes em Oviedo e Ibiza. Voltei a utilizar a bicicleta diariamente novamente para ir ao trabalho quando estava em uma nova empresa que possibilitou eu ir de bicicleta e deixar em um local seguro no estacionamento. Desde esta época utilizo diariamente a bicicleta como meio de transporte. Atualmente eu trabalho no centro de São Paulo e utilizo a bicicleta do bike sampa como parte da minha locomoção. Acredito que esse sistema me permitiu ter uma visibilidade melhor sobre a importância das bicicletas de empréstimo/bicicletas públicas nas cidades e seu uso em beneficio da população.

Também aos finais de semana, junto com a família, graças as ciclovias/ciclofaixas e ciclofaixas de lazer que temos atualmente, programo roteiros para pedalar em São Paulo e assim nós conhecemos a cidade e suas regiões, sua cultura, sua gastronomia, sua sociedade, sua arte, tudo que a cidade pode trazer de enriquecedor durante o passeio.

A bicicleta me trouxe a descoberta de uma cidade mais humana, me deu um ponto de vista totalmente diferente. Eu sou pedestre, ciclista e motorista nesta cidade, sei o bem ou o mal que as minhas ações podem fazer para os outros. Também me permitiu ter mais saúde, ser mais feliz, ter momentos mais prazerosos com a família, ter mais reflexões sobres minhas ações para preservar a natureza, ter contato com outras pessoas que querem mudanças positivas para a nossa cidade e também me possibilitou estar mais próximo das discussões positivas que são realizadas junto com o governo municipal, com a intenção de trazer melhorias para São Paulo, podendo participar junto desta mudança realizando críticas construtivas.

Gostaria de agradecer ao Bike Zona Sul por ter me escolhido para participar nesta semana. O BZS tem uma importância muito grande para nossa cidade e para a Zona Sul de São Paulo. Vocês são um grupo que não só fazem reclamações, mas fazem críticas construtivas e mostram para o governo como deve ser a mudança. Sempre participam com boas ações produtivas e pensam na melhoria da nossa sociedade. Se tivéssemos mais grupos e mais pessoas com estas ações na nossa sociedade, as mudanças e melhorias nesta cidade seriam realizadas em menos tempo do que estamos acostumados. Teríamos uma rua, um bairro, uma cidade, um estado e um país bem melhor, mais justo, mais sustentável e menos desigual.

A bicicleta me trouxe a descoberta de uma cidade mais humana, me deu um ponto de vista totalmente diferente.

Contato: diegobrea@bikezonasul.org

Anúncios