Francineide Veloso

Essa é a história da Francineide Veloso. Ela conta pra gente um pouco da sua história com a bike, que começou na infância, envolveu a família e pelo visto ainda vai longe!

Francineide Veloso Bike Zona Sul

“Olá galera! Meu nome é Francineide, tenho 39 anos e moro no Grajaú, extremo sul de SP. Atuo na área administrativa e atualmente sou estudante de fisioterapia.

Minha paixão pela bike começou aos 7 anos quando ganhei minha primeira bicicleta com rodinhas que compartilhava com minha irmã. Foi amor na primeira pedalada. A sensação que a bike me proporcionava nenhum outro brinquedo superava.

Lembro-me que uma semana depois pedi para meu pai tirar as rodinhas e no mesmo dia com muita persistência comecei a pedalar sem auxilio. Passei a semana toda acordando junto com meu pai às 6 horas e antes de ir pra escola, às 7h, eu ia pedalar um pouco. Me recordo com carinho do meu primeiro e louco capote, no qual eu e a bike voamos mais ou menos 1 metro de altura. Quando levantei senti minha mão queimando, meu joelho e queixo ralados. Porém verifiquei a bike e voltei a pedalar. Pedalar pra não mais parar.

Meu pai chegou a comprar outra bike mas com o aumento excessivo do número de carros na região acabou vendendo. Mas nas férias, na casa de familiares, era a minha diversão. Até fiz meu avô arrumar a bike antiga só para que eu pudesse pedalar nas férias.

A chama acendeu com a inauguração da Ciclovia da Marginal Pinheiros em 2010. Comprei uma bike, mas por causa do excesso de carros e falta de companhia eu pedalava pouco.
Em 2012 conheci uma galera que adora esportes, especialmente correr e pedalar. Fui sorteada no evento Word Bike Tour 2012 e com a bike que recebi foi amor à primeira vista. Personalizei a branquinha e juntas começamos a pedalar quase todo final de semana, especialmente nas ciclofaixas de lazer. E depois cada ciclovia inaugurada era uma nova possibilidade para conhecer São Paulo de uma forma diferente e com segurança. Não parei mais de pedalar.

Nunca tive a oportunidade de trabalhar próximo de casa, assim a bike sempre foi usada como lazer, diversão e esporte. A bike me fornece uma sensação de bem estar físico e mental inexplicável. Com a bike conheci amigos, lugares novos, me tornei um ser humano melhor, mais gentil e preocupado com o meio ambiente. Também tornei-me uma motorista melhor, mais consciente e cuidadosa. A bike me fez olhar São Paulo com outros olhos: um olhar de criança que vê detalhes, vê pureza, que pode simplesmente parar e admirar. São Paulo deixou de ser a cidade de pedra.

11745836_969999679688239_4141070596236679882_n
Francineide Veloso

Em 2015 conheci a galera do Bike Zona Sul, pessoal do bairro com a mesma paixão, que se reúnem a 1km da minha casa. Simplesmente perfeito! Comecei a pedalar com mais freqüência, entusiasmo e cada vez mais longe.

Entretanto em maio de 2015 tive minha bike tomada por quatro delinquentes. Fiquei hiper abalada. Mas como dizem: “quem tem amigos tem tudo”. Além do apoio moral, fui presenteada por uma bike da galera BZS. No pedal do dia 15/7 inaugurei a nova magrela. Estava tão ansiosa que cheguei 1 hora antes (rs). Como é bom voltar a pedalar, sentir o vento, a sensação de liberdade, conhecer lugares, e especialmente a alegria e o bem estar que os pedais me proporcionavam.

A bike faz parte de mim, da minha vida e da minha história. Obrigada a todos que fazem parte dessa história e espero que, como eu, cada um possa encontrar sua galera pra pedalar. Porque pedalar sozinho é ótimo, mas pedalar com galera é simplesmente incrível. Bora pedalar hoje, amanhã e sempre…. Porque bike é vida, é alegria.”

Anúncios