Bike Zona Sul

Dicas para pedalar no frio

Algumas dicas da equipe Bike Zona Sul para pedalar no frio!

1) Vista-se de forma adequada. Use abrigos como moletons para proteger o peito, costas, o tronco de forma geral. Isso é importante para se prevenir contra resfriados. Use casacos ‘corta vento’, eles são eficientes para armazenar o calor sem que te façam suar demais.

2) Cubra a cabeça. Use uma bandana, boné ou lenço por baixo do capacete, para proteger-se do frio. Além disso, use algo para cobrir o nariz e a boca quando necessário, para evitar que o ar gelado penetre diretamente nas vias respiratórias. Para os olhos, vale o uso de óculos de ciclismo.

3) Use luvas. Além de esquentar, elas melhoram a circulação sanguínea evitando que suas mãos ‘tremam’ por causa do frio, o que dá mais firmeza para segura o guidão.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬‪ #‎PrioridadeParaOsPedestres‬ ‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬‪ #‎SãoPauloPraPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:

Anúncios

Alforje é vida

Amamos alforjes! ❤

Essencial para uso urbano, é uma bolsa para bicicletas, um acessório muito prático para levar objetos do dia a dia sem precisar amarrar vários elásticos no bagageiro e sem a necessidade de levar peso nas costas, deixando o corpo livre para sentir mais ainda o vento e a liberdade da bicicleta.

Alforje Bike Zona Sul
Alforjes nos bagageiros facilita tudo

Existem alforjes para todos os tipos, tamanhos e gostos, atendendo desde quem usa a bicicleta como meio de transporte ou até para quem deseja viajar de bike mundo afora.

E aí, já pensou em utilizar um para facilitar o seu dia a dia? Alforje é vida. 😉

#bikezonasul #compartilhe

Carro-dependência tem cura

Bike Zona Sul Carro Dependência
O carro em sua própria concepção é um meio de transporte indicado para o transporte interurbano, distâncias acima de 30km ou para grandes viagens, mas no Brasil muitas pessoas ainda o utilizam de maneira desnecessária.
 
Há pessoas que usam carro para ir todos os dias ao trabalho, faculdade, shopping, supermercado e até na padaria do bairro. Muitas vezes esses trajetos não chegam a 10km de distância.
 
Precisamos mudar o modo que enxergamos nossos deslocamentos e notar que esse tipo de comportamento muitas vezes atrapalha o ir e vir de muitas outras pessoas que realmente precisam do carro. Essas pessoas são idosos, cadeirantes, feridos em ambulâncias, trabalhadores no transporte coletivo, transporte de cargas, etc.
Bike Zona Sul Espaço x mobilidade
A diferença de espaço ocupado no trânsito da cidade.
 
Lembre-se você não está no trânsito, você é o trânsito!
 
Em deslocamentos de até 10km, vá à pé. Até 20km, vá de bike. Com o tempo, você descobrirá que 30km não é tão difícil de fazer de bicicleta. Mas se você ainda não tem uma bike, vá de ônibus.
 
A cidade agrade.
Carro-dependência tem cura.
 
#BikeZonaSul

#Manutenção: pneus e calibragem (post 1)

Da série Manutenção: pneus e calibragem (post 1)

É sempre importante verificar se os pneus da sua bicicleta estão em bom estado de conservação!

Uma olhada rápida em busca possíveis furos, cacos de vidro, pregos ou algo similar pode evitar que sua câmara fure lentamente, te deixando na mão de repente!

Também é bom checar a pressão dos pneus antes e depois de cada pedalada. Muitas bombas para pneus de bicicleta vem com a marcação adequada para os pneus de mountain bikes (MTB), que são os mais comuns.

Pedalar com a pressão abaixo do adequado aumenta a chance de os pneus furarem já que se torna mais fácil para pregos e outros objetos pontiagudos perfurarem o pneu e atingirem a câmara.

0
Pneu de MTB Lotus SRI-68.


Porém usar o pneu com a pressão acima recomendado pode desgastar a câmara prematuramente, o que também o deixa mais frágil em relação aos furos.

A maioria dos pneus tem a ‘faixa de pressão adequada’ (que é um intervalo entre duas pressões, como 60-80, por exemplo) gravada na própria borracha do pneu. O local da inscrição varia, mas geralmente fica lateralmente, próximo ao bico onde a bomba se conecta. Se o intervalo for de 60-80, o ideal é sempre calibrar o pneu a 70.

A maioria dos pneus deve ser ‘enchido’ no máximo a cada duas semanas, para quem pedala com frequência, é bom encher pelo menos uma vez por semana. Para quem pedala quase todo dia, duas vezes por semana.


‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬


(Equipe BZS: Thomas Wang)

Algumas dicas sobre pneus

450xn
Pneu urbano Lotus

Antes de pedalar:
-Cheque se eles estão ‘cheios’, com a pressão correta. Geralmente pressão está indicada nas laterais do pneu, perto do bico. Existem bombas para ciclistas que têm marcações de acordo com a pressão, para vc não depender daquela bomba do posto.
– Evite pedalar se a pressão dos pneus não estiver adequada, isso os deixa mais frágeis.
– Verifique se já não há algum caco de vidro,prego ou algo pontiagudo/cortante no pneu. Se encontrar algo, retire com cuidado.

Durante o pedal:
– Evite passar por cima cacos de vidro, arames, fios, objetos cortantes/afiados em geral.
– Se parar, verifique a pressão dos pneus.

Após pedalar:
– Verifique os pneus para possíveis objetos que tenham ficado presos e retire-os.
– Calibre os pneus na pressão correta.

#BikeZonaSul #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas

#PrioridadeParaOsPedestres #CidadesParaPessoas #CitiesForPeople

#SãoPauloPraPessoas

(Equipe BZS: Thomas Wang)

CET instala paraciclos na Av.Jabaquara

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) instalou 33 paraciclos na Avenida Jabaquara!

Paraciclos são suportes para fixação de bicicletas, podendo ser instalados em áreas públicas e privadas, como consta na Política Nacional de Mobilidade Urbana. Eles são uma importante parte da política cicloviária, pois permitem aos ciclista trancar sua bicicleta de forma segura e confortável.

0
Paraciclo U-invertido, o modelo ideal.

Na cidade de São Paulo os suportes são amarelos para facilitar a visualização, cor determinada pelo manual da Prefeitura: http://www.cetsp.com.br/media/404326/manualparaciclos.pdf .

Para instalar um paraciclo, basta seguir o manual (link acima), que é simples e prático. É importante deixar claro que não é necessária nenhuma autorização da Prefeitura ou qualquer órgão, não existem impostos ou multas sobre a instalação de paraciclos, desde que feita de acordo com o manual da CET.

2
Paraciclo instalado no canteiro central e perto da faixa de pedestres, para que os ciclistas tranquem a bicicleta e já atravessem, indo ao seu destino.

Com os 33 novos paraciclos instalados ao longo da Av. Jabaquara, já são 748 pela cidade, o que é um bom começo.

As fotos desse post foram tiradas na altura do Metrô Praça da Árvore 🙂

E abaixo segue a lista de locais onde a CET instalou paraciclos na Av. Jabaquara.

ENDEREÇOS:
Avenida Jabaquara nº 1126
Avenida Jabaquara nº 1374
Avenida Jabaquara nº 1526
Avenida Jabaquara nº 1744
Avenida Jabaquara nº 1810
Avenida Jabaquara nº 1812
Avenida Jabaquara nº 1826
Avenida Jabaquara nº 1842
Avenida Jabaquara nº 2285
Avenida Jabaquara nº 2071 com Rua Ibiturana
Avenida Jabaquara nº 1987
Avenida Jabaquara com Rua Paracatu nº 202
Avenida Jabaquara nº 1955 com Rua Paracatu (lado ímpar)
Avenida Jabaquara nº 1729
Avenida Jabaquara com Rua Pereira Estefano
Avenida Jabaquara nº 1465
Avenida Jabaquara nº 1397
Avenida Jabaquara nº 1257
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 69
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 47
Avenida Jabaquara nº 981
Avenida Jabaquara nº 941
Avenida Jabaquara nº 901
Avenida Jabaquara nº 877
Avenida Jabaquara nº 853
Avenida Jabaquara nº 833
Avenida Jabaquara nº 803
Avenida Jabaquara com Rua Serra Martins nº 23
Avenida Jabaquara nº 697
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara nº 681

10
Paraciclo instalado em frente aos Correios.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎VaiTerCalçada‬ ‪#‎PrioridadeParaOsPedestres‬ ‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬‪ #‎SãoPauloPraPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: texto e fotos de Thomas Wang)

Andar de bicicleta em São Paulo é perigoso?

Não vamos dizer que não é, mas também não vamos dizer que é.

Na realidade, andar de bicicleta em si não é algo arriscado, mas a segurança de um ciclista no tráfego depende de muitas variáveis…

Entre elas podemos citar: o trajeto, as condições das vias, as condições da bicicleta, o comportamento dos motoristas e do próprio ciclista. Por exemplo: um ciclista que use a Av. 23 de Maio passa por mais situações de risco do que um que vá pela Alameda dos Anapurus (uma paralela da 23 em Moema, abra os dois links para comparar os trajetos)…

Se o ciclista seguir as leis de trânsito como respeitar semáforos, não andar na contramão, dar a preferência para pedestres e etc, é bem mais seguro! Ele ajuda a se proteger e proteger os outros.

Uma dica válida, mas desconhecida por muitos ciclistas, é estender o braço para o lado que vai virar… É isso mesmo, basta esticar o braço para o lado apontando a direção que vc vai tomar… Claro que isso deve ser feito antes de virar, de preferência com alguma antecedência até vc de fato entrar na curva ou trocar de pista… Esse gesto indica para os motoristas suas intenções e evita acidentes já que eles sabem que vc vai diminuir para trocar de pista ou virar… Veja alguns gestos comuns na imagem abaixo:

3

 

Uma coisa que vale a pena deixar claro é que a bicicleta tem preferência sobre outros veículos, como consta no Código de Trânsito Brasileiro, Artigo 29:
§ 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.

Ou seja, a preferencia é dos pedestres, em seguida vem ciclistas, skatistas e patinadores, aí vem as motos e por fim os carros, ônibus e caminhões. Os grandes devem dar preferência e deixar os pequenos passarem primeiro.

O que vale é o bom senso e a educação, mas muitos motoristas, motociclistas, ciclistas e mesmo pedestres não tem… É necessário que todos respeitem as leis, se todos respeitarem, vai ser mais seguro e melhor para todo mundo, independente do veículo 🙂

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)

A ciclovia da Av.Lourenço Cabreira

 

A ciclovia da Avenida Lourenço Cabreira é fundamental para garantir a segurança dos ciclistas dos bairros vizinhos como Jardim Primavera, Jardim Colonial, Guanhembú, Grajaú, Cidade Dutra e Interlagos.

Nessa região não existe nenhuma infraestrutura cicloviária semelhante, pois ela oferece uma alternativa segura para os ciclistas que se deslocam até a Ciclovia Rio Pinheiros ou mesmo para os trabalhadores que desejam ir até a Estação Autódromo, terminando o trajeto até o trabalho de trem.

Além disso, a utilização da Av. Lourenço Cabreira para a instalação da ciclovia, não foi uma decisão exclusiva da CET, ela foi discutida pelos ciclistas e coletivos da região, durante as audiências publicas, entre elas, as que discutiram o Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob). Ela foi escolhida por estar em uma região de fácil acesso a diversos bairros e com possibilidade de se conectar com outros meios de transporte como trem e ônibus.

Também é importante deixar claro que a ciclovia não causou trânsito na avenida, mas que o trânsito já existia devido ao grande fluxo de automóveis que passaram a circular depois da construção da Ponte Vitorino Goulart e também devido aos carros que estacionam ao longo da via.

Quanto às críticas recebidas por alguns comerciantes, é importante ressaltar que nas vias que já receberam ciclovias, o faturamento do comércio aumentou. Isso acontece já que ciclistas e pedestres consomem mais do que motoristas, pois passam em menor velocidade e percebendo as lojas.

Assim como a maior parte de São Paulo, a Zona Sul é carente de opções de transporte. Por isso, é muito importante levar a rede cicloviária até lá, oferecendo novas opções para se se deslocar até o destino ou até os terminas de trem/ônibus, possibilitando economia de tempo, dinheiro e até mesmo promovendo uma atividade física saudável para as pessoas. A bicicleta ajuda a reduzir o trânsito, desafogar o transporte público e estimula o comércio e a ocupação do espaço público pelas pessoas.

Esses são alguns dos motivos pelos quais precisamos e queremos a ciclovia da Avenida Lourenço Cabreira!

Precisamos mostrar que apoiamos a ciclovia da Av.Lourenço Cabreira, demonstre seu apoio neste abaixo assinado, CLIQUE AQUI!

https://www.change.org/CicloviaNaLourencoCabreira

E veja o vídeo que o BZS gravou nessa ciclovia 🙂

Vamos tornar a Zona Sul mais segura para todos!

#BikeZonaSul #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas
#RespeiteUmCarroAMenos #MaisAmorMenosMotor #PrioridadeParaOsPedestres

#CidadesParaPessoas #CitiesForPeople #SãoPauloPraPessoas

(Equipe Bike Zona Sul: Alex Gomes, Alexandre Liodoro, Paulo Alves e Thomas Wang)

Novidades na Av.Jaguaré (ZO)!

Ultimamente estamos recebendo várias notícias e fotos de novas ciclovias surgindo, a maioria delas sugeridas pela população durante reuniões com o pessoal do Programa Ciclovia SP, o departamento de planejamento cicloviário da CET.

6
Av.Jaguaré, obras da ciclovia no canteiro central! (foto: Felipe Mujica)

Essas fotos são da futura ciclovia da Avenida Jaguaré, na Zona Oeste de São Paulo! Alô amigos do Bike Zona Oeste (BZO), tem novidade na área de vcs!

Nosso amigo Felipe Mujica compartilhou algumas fotos pelo Facebook, que nos levam a crer que a ciclovia da Avenida Jaguaré é de concreto e ainda será pintada, como a nossa querida Teotônio Vilela (na ZS).

5
(foto: Felipe Mujica)

Em geral, as histórias da Ciclovia da Teotônio Vilela e a da Ciclovia da Av.Jaguaré são bem parecidas. No início, nenhuma delas constava nos planos da CET para a construção de ciclovias, mas foram sugeridas por ciclistas da região.

Em ambos os casos as ciclovias só surgiram após a pressão popular através de abaixos-assinado feitos através do Change.org. O abaixo-assinado da  Ciclovia da Teotônio Vilela teve quase 5 mil assinaturas, enquanto o da Ciclovia da Av.Jaguaré obteve cerca de 5 mil e quinhentas assinaturas.

1
Espaço das tampas de fiação que ainda precisam ser finalizados. (foto: Felipe Mujica)

Diante de tanto apoio, a CET incluiu ambas ciclovias no seu planejamento, mesmo que não exatamente como foi sugerido. No caso da Teotônio, um trecho dela ainda não será feito por causa da necessidade de uma obra maior (que não depende somente do CicloviaSP, mas também da subprefeitura e outras secretarias). No caso da Jaguaré, ainda falta a ciclovia sobre a Ponte do Jaguaré a ligação com o Parque Villa-Lobos e o eixo da Ciclovia da Pedroso. A ponte é primordial para proteger quem vem do Jaguaré, Rio Pequeno e até mesmo de Osasco. A ligação com a Ciclovia da Pedroso é importante para conectar a Jaguaré (e as regiões citadas na última frase) com o restante da malha cicloviária, em especial com as zonas Oeste e Sul.

 

3
Espaço para fios telefônicos. (foto: Felipe Mujica)

É com grande alegria que nós do Bike Zona Sul podemos dizer que ajudamos nossos colegas do Bike Zona Oeste a conseguir essa conquista. Tivemos reuniões conjuntas entre membros de ambos grupos, de ciclistas da região, do pessoal da Change.org, do Ciclovia SP, das subprefeituras e Prefeitura.

Para isso pedimos que vcs continuem nos apoiando, pois mesmo que a Prefeitura já tenha feito parte dessas ciclovias, elas ainda não estão completas, por isso os ciclistas ainda não estão totalmente protegidos :/

Assinem as petições da ciclovia da Av.Senador Teotônio Vilela e da Av.Jaguaré:

Ciclovia da Teotônio Vilela – ASSINE AQUI!

Ciclovia e ponte do Jaguaré – ASSINE AQUI!

Unindo forças vamos conseguir tornar São Paulo melhor para todos 😀

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#BikeZonaOeste
#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬
(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang/Fotos de Felipe Mujica)

Ligações no Sudeste: R.Domingos de Morais e região do Jabaquara

0
Rua Domingos de Morais, altura da Rua.Dr.Altino Arantes (foto do Vá de Bike)

Um dos caminhos mais conhecidos para a Zona Sul, a Rua Domingos de Morais é a via central do eixo que liga o Jabaquara ao Centro. Essa rota forma um Y ligando o Centro, a região da Vila Santa Catarina e também a Av.Cupecê, indo em direção à Diadema.

Esse eixo começa quando as avenidas Engenheiro Armando de Arruda Pereira e Engenheiro George Corbisier se encontram com na altura do metrô Conceição, formando o centro do nosso Y. Juntas elas ‘se tornam’ a Av.Doutor Hugo Beolchi, que passa por cima da Av.dos Bandeirantes. Após o viaduto ela se torna a Av.Jabaquara, mudando para Rua Domingos de Morais (entre a Rua Luís Góis e o metrô Vila Mariana), de onde passa a se chamar Rua Vergueiro, conforme nosso mapa:

1
O grande eixo cicloviário do Sudeste de São Paulo em azul claro.

É por isso que uma ciclovia na Rua Domingos de Morais é fundamental para conectar a Zona Sul ao Centro da cidade, ela é uma rota já usada por centenas de ciclistas todos os dias, inclusive vários membros do Bike Zona Sul.

A Ciclovia Da Vergueiro precisa ser conectada com a Ciclovia Avenida Jabaquara para que os ciclistas não fiquem expostos ao intenso tráfego do trecho da Domingos de Morais, que tem ônibus, carros, motos e caminhões…

A atual alternativa construída pela CET passa pelas ruas Madre Cabrini, Primeiro de Janeiro e Coronel Lisboa, paralelas à Domingos de Morais. Ela é ótima para quem se desloca pela Vila Clementino ou a partir desse bairro, mas é um desvio grande e desnecessário para quem segue na direção do Jabaquara, outros bairros do Sudeste e Diadema.

Todos sabemos da grande quantidade de ciclistas que usa o eixo Vergueiro-Domingos de Morais-Jabaquara, por isso precisamos de uma ciclovia na Rua Domingo de Morais! Além de proteger quem já pedala nessa rota, uma ciclovia nela estimularia ciclistas ocasionais, como meu pai e minha irmã.

A maioria dos ciclistas ocasionais não se sente segura ao compartilhar a rua com carros, ônibus, motos e caminhões. É necessário garantir a segurança e o espaço deles, o que só é possível com a construção de ciclovias e ciclofaixas. Por isso defendemos a criação de mais ciclovias e ciclofaixas.

A ciclovia da Rua Domingos de Morais pode seguir o modelo das ciclovias da Rua Vergueiro e da Avenida Jabaquara, sendo monodirecional no canteiro central. Para isso basta demarcar a ciclovia no centro da avenida e ressinalizar as faixas de rolamento. É algo simples e que não precisa demorar!

Além disso, é necessário conectar a ciclovia da Av.Jabaquara às demais do Sudeste, como a da Av. Eng.George Corbisier e da Av.Eng.Armando de Arruda Pereira (sobre essas duas, clique aqui). Uma ligação segura entre essas duas ciclovias e a da Av.Jabaquara-Rua Vergueiro é fundamental para que os ciclistas possam se deslocar em segurança. Quando essas conexões forem completadas, boa parte do Sudeste paulistano estará conectado à malha cicloviária da cidade.

Para manter vivas as nossas demandas para a Prefeitura (seja nessa gestão ou na próxima), a equipe do Bike Zona Sul criou dois abaixo-assinados, por favor assinem e compartilhem!

Assine e compartilhe os links:

www.change.org/InterligarAsCiclovias

Vamos pressionar o poder público e tornar São Paulo melhor para todos!

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)

#BikeZonaSul #VaiTerCiclovia   #CicloviasSalvamVidas

#SãoPauloPrasPessoas #CidadesParaPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo: