Bike Zona Sul

Dicas para pedalar no frio

Algumas dicas da equipe Bike Zona Sul para pedalar no frio!

1) Vista-se de forma adequada. Use abrigos como moletons para proteger o peito, costas, o tronco de forma geral. Isso é importante para se prevenir contra resfriados. Use casacos ‘corta vento’, eles são eficientes para armazenar o calor sem que te façam suar demais.

2) Cubra a cabeça. Use uma bandana, boné ou lenço por baixo do capacete, para proteger-se do frio. Além disso, use algo para cobrir o nariz e a boca quando necessário, para evitar que o ar gelado penetre diretamente nas vias respiratórias. Para os olhos, vale o uso de óculos de ciclismo.

3) Use luvas. Além de esquentar, elas melhoram a circulação sanguínea evitando que suas mãos ‘tremam’ por causa do frio, o que dá mais firmeza para segura o guidão.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬‪ #‎PrioridadeParaOsPedestres‬ ‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬‪ #‎SãoPauloPraPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:

Anúncios

Alforje é vida

Amamos alforjes! ❤

Essencial para uso urbano, é uma bolsa para bicicletas, um acessório muito prático para levar objetos do dia a dia sem precisar amarrar vários elásticos no bagageiro e sem a necessidade de levar peso nas costas, deixando o corpo livre para sentir mais ainda o vento e a liberdade da bicicleta.

Alforje Bike Zona Sul
Alforjes nos bagageiros facilita tudo

Existem alforjes para todos os tipos, tamanhos e gostos, atendendo desde quem usa a bicicleta como meio de transporte ou até para quem deseja viajar de bike mundo afora.

E aí, já pensou em utilizar um para facilitar o seu dia a dia? Alforje é vida. 😉

#bikezonasul #compartilhe

#Manutenção: Selim e altura (post 3)

Da série Manutenção: selim e altura (post 3)

O ideal é que o selim seja confortável e esteja na altura correta. A maioria das bicicletas vêm equipada com selins de espuma ou borracha, sendo que geralmente é possível trocar o selim por outro mais confortável. Também é possível comprar almofadas para tornar o selim mais macio.

Sobre a altura, o ideal é que, estando de pé do lado da bicicleta, o selim esteja um pouco acima da sua cintura. Assim, quando vc pedalar o esforço será feito pelos músculos da coxa e da panturrilha, e não forçará os seus joelhos. Muitas pessoas (em especial ciclistas desavisados) acabam tendo problemas nos joelhos por deixarem o selim muito baixo e forçarem os joelhos.

0
O selim deve estar  ligeiramente acima da cintura do ciclista.

Ao parar a bike, vc vai reparar que sempre terá que fazer um ângulo leve para o lado para se apoiar, o que também melhora seu desempenho ao retomar a pedalada. Mas também não exagere, colocar o selim muito alto desequilibra e também pode causar lesões nos joelhos.

Um truque interessante é ‘sentir as dores’. Se a parte de trás do joelho que dói, abaixe a altura do selim. Se a parte da frente que dói, levante o selim. Mas ao abaixar e levantar, faça isso aos poucos, levando em consideração que poucos centímetros podem fazer uma grande diferença!

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬

(Equipe BZS: Thomas Wang)

#Manutenção: corrente e lubrificação (post 2)

 

Da série Manutenção: corrente e lubrificação (post 2)

Um item importante em qualquer bicicleta, a corrente deve estar constantemente limpa e lubrificada. Se a manutenção dela não for feita de forma correta, ela prejudica o desempenho e pode ‘travar’, derrubando o ciclista.

Por ser um item básico, se a a bicicleta é usada com frequência pode ser necessário trocar a corrente por conta do desgaste. Por isso é sempre bom estar atento ao desgaste e possíveis ‘quebras’ nos elos da corrente.

0
Corrente de bicicleta.


Quando for trocar a corrente deve-se verificar a quantidade de marchas da bicicleta, já que cada corrente tem seu tamanho adequado para a marcha correspondente.

Por ser algo que necessita de ‘cuidados específicos’ devido ao contato com as coroas e as marchas, é sempre bom pesquisar bem e confirmar com seu mecânico antes de mexer. Tenha sempre um mecânico especializado em que vc confie, isso é importante  😉

A lubrificação depende da frequência de uso da bicicleta, na minha bike principal tento lubrificar a corrente de 2 em 2 meses, pois pedalo quase todo dia. Para quem pedala menos (até duas vezes por semana ou menos) uma lubrificação a cada 6 meses deve ser suficiente.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬

(Equipe BZS: Thomas Wang)

#Manutenção: pneus e calibragem (post 1)

Da série Manutenção: pneus e calibragem (post 1)

É sempre importante verificar se os pneus da sua bicicleta estão em bom estado de conservação!

Uma olhada rápida em busca possíveis furos, cacos de vidro, pregos ou algo similar pode evitar que sua câmara fure lentamente, te deixando na mão de repente!

Também é bom checar a pressão dos pneus antes e depois de cada pedalada. Muitas bombas para pneus de bicicleta vem com a marcação adequada para os pneus de mountain bikes (MTB), que são os mais comuns.

Pedalar com a pressão abaixo do adequado aumenta a chance de os pneus furarem já que se torna mais fácil para pregos e outros objetos pontiagudos perfurarem o pneu e atingirem a câmara.

0
Pneu de MTB Lotus SRI-68.


Porém usar o pneu com a pressão acima recomendado pode desgastar a câmara prematuramente, o que também o deixa mais frágil em relação aos furos.

A maioria dos pneus tem a ‘faixa de pressão adequada’ (que é um intervalo entre duas pressões, como 60-80, por exemplo) gravada na própria borracha do pneu. O local da inscrição varia, mas geralmente fica lateralmente, próximo ao bico onde a bomba se conecta. Se o intervalo for de 60-80, o ideal é sempre calibrar o pneu a 70.

A maioria dos pneus deve ser ‘enchido’ no máximo a cada duas semanas, para quem pedala com frequência, é bom encher pelo menos uma vez por semana. Para quem pedala quase todo dia, duas vezes por semana.


‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬


(Equipe BZS: Thomas Wang)

Andar de bicicleta em São Paulo é perigoso?

Não vamos dizer que não é, mas também não vamos dizer que é.

Na realidade, andar de bicicleta em si não é algo arriscado, mas a segurança de um ciclista no tráfego depende de muitas variáveis…

Entre elas podemos citar: o trajeto, as condições das vias, as condições da bicicleta, o comportamento dos motoristas e do próprio ciclista. Por exemplo: um ciclista que use a Av. 23 de Maio passa por mais situações de risco do que um que vá pela Alameda dos Anapurus (uma paralela da 23 em Moema, abra os dois links para comparar os trajetos)…

Se o ciclista seguir as leis de trânsito como respeitar semáforos, não andar na contramão, dar a preferência para pedestres e etc, é bem mais seguro! Ele ajuda a se proteger e proteger os outros.

Uma dica válida, mas desconhecida por muitos ciclistas, é estender o braço para o lado que vai virar… É isso mesmo, basta esticar o braço para o lado apontando a direção que vc vai tomar… Claro que isso deve ser feito antes de virar, de preferência com alguma antecedência até vc de fato entrar na curva ou trocar de pista… Esse gesto indica para os motoristas suas intenções e evita acidentes já que eles sabem que vc vai diminuir para trocar de pista ou virar… Veja alguns gestos comuns na imagem abaixo:

3

 

Uma coisa que vale a pena deixar claro é que a bicicleta tem preferência sobre outros veículos, como consta no Código de Trânsito Brasileiro, Artigo 29:
§ 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.

Ou seja, a preferencia é dos pedestres, em seguida vem ciclistas, skatistas e patinadores, aí vem as motos e por fim os carros, ônibus e caminhões. Os grandes devem dar preferência e deixar os pequenos passarem primeiro.

O que vale é o bom senso e a educação, mas muitos motoristas, motociclistas, ciclistas e mesmo pedestres não tem… É necessário que todos respeitem as leis, se todos respeitarem, vai ser mais seguro e melhor para todo mundo, independente do veículo 🙂

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬
‪#‎RespeiteUmCarroMenos‬ ‪#‎MaisAmorMenosMotor‬
‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬ ‪#‎SãoPauloPrasPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)