Como as ciclovias tem afetado o comércio?

Como as ciclovias tem afetado o comércio?

 

Bike Zona Sul
Tati, que instalou um paraciclo na frente do Clemente Café, com Carla Moraes. (Foto: Carla Moraes/BZS)

Quando uma ciclovia é implantada é comum ouvir reclamações como “vai tirar vagas dos carros”, “vai atrapalhar o transito”, “São Paulo não é lugar pra andar de bicicleta”… Neste post, vamos falar de uma dessas críticas, mais especificamente, sobre o comércio.

Como já foi comprovado por pesquisas (veja aqui, aqui, aqui e aqui) o número de ciclistas aumenta muito além da malha cicloviária, mas como isso tem afetado o comércio? Será que a crítica “ciclovia atrapalha o comércio” é real ou é só um preconceito?

Com a palavra, os comerciantes!

Ana, 24, dona de lanchonete (no Paraíso, na frente da ciclovia da R.Dr.Rafael de Barros): “No começo achei um absurdo a prefeitura vir pintar uma ciclofaixa na frente da minha lanchonete sem avisar ninguém, ainda mais porque eu estacionava aqui na frente. Quando pintaram passava pouca gente de bicicleta, agora passa bastante. Além disso, agora tem alguns grupos de pedal que comem aqui, então melhorou o movimento à noite.

Bianca, 34, gerente de loja de roupas (na região da Praça da Árvore, perto da ciclovia da Av.Jabaquara): Achei que ia ser ruim porque ia piorar o transito, mas parece que o movimento aumentou, talvez tenha melhorado porque mais pessoas conseguem ver a loja. Tem gente que deixa a bicicleta no poste na frente da loja e entra pra ver as mercadorias.

Carlos, 52, funcionário de estacionamento:Menino, vou te falar uma coisa, essa ciclofaixa é uma benção! O estacionamento sempre teve movimento, mas agora vive cheio porque tem menos vagas de Zona Azul e algumas lojas fizeram convenio com a gente.

Daniela, 22, caixa de supermercado (em Mirandópolis, perto da ciclovia da Rua Coronel Lisboa/Primeiro de Janeiro): “Trabalho aqui fazem uns dois anos, depois que fizeram a ciclofaixa começou a ter mais gente vindo de bicicleta pro supermercado, então acho que o dono deve estar ganhando mais… Pra mim não faz tanta diferença, mas ficou mais fácil pros meninos que fazem as entregas, eles gostam.

Diego, 24, garçom do Sukiya da Rua Vergueiro (na frente da Ciclovia da Rua Vergueiro/Avenida Liberdade): Todo final de semana aparecem vários ciclistas aqui, principalmente na hora do almoço, em especial no domingo. Durante a semana também aparecem alguns clientes de bicicleta, mas acho que menos do que no domingo, porque tem Ciclofaixa de passeio [lazer].”

4
Bicicletas amarradas na grade do Sukiya da Rua Vergueiro. (Foto: Thomas Wang/Bike Zona Sul)

Marcos, 56, atendente do Starbucks (Avenida Paulista, na frente da ciclovia da Avenida Paulista): Desde que trabalho aqui tinha cliente que vinha de bicicleta, depois que inauguraram a ciclovia tem ainda mais. Eles falam que podem parar a bicicleta na entrada da loja, trancar em poste, entrar, comprar o café e sair. É bem mais fácil do que o pessoal que vem de carro, que tem que ficar procurando vaga, pagar estacionamento… E aqui estacionamento é uma fortuna!

Rogério, 46, dono de bar/lanchonete (na frente da ciclovia da R.Artur de Azevedo): “Antes eu só vendia para os pedestres e pessoal que trabalha aqui perto, achei que ia ser ruim porque não ia ter mais vagas na frente do bar, mas agora é bem melhor, dá pra ver o movimento da rua e o pessoal que anda de bicicleta pára aqui para comprar água, suco, café, Gatorade… Até melhorou o movimento do bar já que tem um pessoal que pedala a noite e para aqui pra comer.”

Tatiana, 29, dona do Clemente Café (na frente da ciclovia da Rua Coronel Lisboa/Primeiro de Janeiro): Aqui na rua passa um número considerável de bikes, às vezes até na calçada. A ciclovia possibilita que as pessoas que nem moram tão perto e usam a bike como meio de transporte (mais do que lazer, pelo menos na semana) tenham contato com café especial.

1
Na falta de paraciclo, fica no poste. Se os comerciantes instalassem paraciclos iam faturar bem mais com clientes que pedalam… (Foto: Thomas Wang/BZS)

Para entender mais sobre a relação entre ciclovias e o comércio, veja nestes links:
Bicicleta faz bem ao Comércio – Ciclocidade

Com ciclovias, faturamento do comércio aumenta

Ruas abertas com pedestres e ciclistas aumentam faturamento de lojistas

(Equipe Bike Zona Sul: Carla Moraes e Thomas Wang)

#BikeZonaSul #CicloviasSalvamVidas #VaiTerCiclovia

#PrioridadeParaOsPedestres #CidadesParaPessoas #CitiesForPeople

#SãoPauloPrasPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:

Anúncios

Obras da Ciclovia na Av. Luiz Gushiken

Av. Luiz Gushiken Bike Zona Sul
Ciclista utilizando a Ciclovia da Av. Luiz Gushiken

A ciclovia da Av. Luiz Gushiken está aos poucos avançando, rumo à periferia. A ciclovia é uma importante ligação, servindo de opção à M’boi Mirim aos ciclistas que vêm da Ciclovia Rio Pinheiros, ainda que não conectada à essa estrutura.

Recentemente, ela ganhou o concreto pigmentado, igual às ciclovias da região oeste da cidade, tornando a ciclovia quase um tapete, faltando ainda tampar alguns buracos das obras que estão sendo realizadas na via.

Av. Luiz Gushiken Bike Zona Sul
Estrutura cicloviária na Av. Luiz Gushiken

Porém, notamos que as obras precisam de adequações, pois em muitas esquinas por onde passa a ciclovia, existem problemas como desníveis muito altos. Além disso, há desvios que fazem o ciclista dar voltas priorizando os carros, ao invés das bicicletas.

Precisamos que a construtora reavalie e consulte os ciclistas para tornar a ciclovia mais funcional e segura.

Av. Luiz Gushiken Bike Zona Sul
Início do trecho bidirecional na Av. Luiz Gushiken

#BikeZonaSul #AvaliaçãodasCiclovias #Compartilhe

Alforje é vida

Amamos alforjes! ❤

Essencial para uso urbano, é uma bolsa para bicicletas, um acessório muito prático para levar objetos do dia a dia sem precisar amarrar vários elásticos no bagageiro e sem a necessidade de levar peso nas costas, deixando o corpo livre para sentir mais ainda o vento e a liberdade da bicicleta.

Alforje Bike Zona Sul
Alforjes nos bagageiros facilita tudo

Existem alforjes para todos os tipos, tamanhos e gostos, atendendo desde quem usa a bicicleta como meio de transporte ou até para quem deseja viajar de bike mundo afora.

E aí, já pensou em utilizar um para facilitar o seu dia a dia? Alforje é vida. 😉

#bikezonasul #compartilhe

CET instala paraciclos na Av.Jabaquara

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) instalou 33 paraciclos na Avenida Jabaquara!

Paraciclos são suportes para fixação de bicicletas, podendo ser instalados em áreas públicas e privadas, como consta na Política Nacional de Mobilidade Urbana. Eles são uma importante parte da política cicloviária, pois permitem aos ciclista trancar sua bicicleta de forma segura e confortável.

0
Paraciclo U-invertido, o modelo ideal.

Na cidade de São Paulo os suportes são amarelos para facilitar a visualização, cor determinada pelo manual da Prefeitura: http://www.cetsp.com.br/media/404326/manualparaciclos.pdf .

Para instalar um paraciclo, basta seguir o manual (link acima), que é simples e prático. É importante deixar claro que não é necessária nenhuma autorização da Prefeitura ou qualquer órgão, não existem impostos ou multas sobre a instalação de paraciclos, desde que feita de acordo com o manual da CET.

2
Paraciclo instalado no canteiro central e perto da faixa de pedestres, para que os ciclistas tranquem a bicicleta e já atravessem, indo ao seu destino.

Com os 33 novos paraciclos instalados ao longo da Av. Jabaquara, já são 748 pela cidade, o que é um bom começo.

As fotos desse post foram tiradas na altura do Metrô Praça da Árvore 🙂

E abaixo segue a lista de locais onde a CET instalou paraciclos na Av. Jabaquara.

ENDEREÇOS:
Avenida Jabaquara nº 1126
Avenida Jabaquara nº 1374
Avenida Jabaquara nº 1526
Avenida Jabaquara nº 1744
Avenida Jabaquara nº 1810
Avenida Jabaquara nº 1812
Avenida Jabaquara nº 1826
Avenida Jabaquara nº 1842
Avenida Jabaquara nº 2285
Avenida Jabaquara nº 2071 com Rua Ibiturana
Avenida Jabaquara nº 1987
Avenida Jabaquara com Rua Paracatu nº 202
Avenida Jabaquara nº 1955 com Rua Paracatu (lado ímpar)
Avenida Jabaquara nº 1729
Avenida Jabaquara com Rua Pereira Estefano
Avenida Jabaquara nº 1465
Avenida Jabaquara nº 1397
Avenida Jabaquara nº 1257
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 69
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 47
Avenida Jabaquara nº 981
Avenida Jabaquara nº 941
Avenida Jabaquara nº 901
Avenida Jabaquara nº 877
Avenida Jabaquara nº 853
Avenida Jabaquara nº 833
Avenida Jabaquara nº 803
Avenida Jabaquara com Rua Serra Martins nº 23
Avenida Jabaquara nº 697
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara nº 681

10
Paraciclo instalado em frente aos Correios.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎VaiTerCalçada‬ ‪#‎PrioridadeParaOsPedestres‬ ‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬‪ #‎SãoPauloPraPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: texto e fotos de Thomas Wang)