CET instala paraciclos na Av.Jabaquara

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) instalou 33 paraciclos na Avenida Jabaquara!

Paraciclos são suportes para fixação de bicicletas, podendo ser instalados em áreas públicas e privadas, como consta na Política Nacional de Mobilidade Urbana. Eles são uma importante parte da política cicloviária, pois permitem aos ciclista trancar sua bicicleta de forma segura e confortável.

0
Paraciclo U-invertido, o modelo ideal.

Na cidade de São Paulo os suportes são amarelos para facilitar a visualização, cor determinada pelo manual da Prefeitura: http://www.cetsp.com.br/media/404326/manualparaciclos.pdf .

Para instalar um paraciclo, basta seguir o manual (link acima), que é simples e prático. É importante deixar claro que não é necessária nenhuma autorização da Prefeitura ou qualquer órgão, não existem impostos ou multas sobre a instalação de paraciclos, desde que feita de acordo com o manual da CET.

2
Paraciclo instalado no canteiro central e perto da faixa de pedestres, para que os ciclistas tranquem a bicicleta e já atravessem, indo ao seu destino.

Com os 33 novos paraciclos instalados ao longo da Av. Jabaquara, já são 748 pela cidade, o que é um bom começo.

As fotos desse post foram tiradas na altura do Metrô Praça da Árvore 🙂

E abaixo segue a lista de locais onde a CET instalou paraciclos na Av. Jabaquara.

ENDEREÇOS:
Avenida Jabaquara nº 1126
Avenida Jabaquara nº 1374
Avenida Jabaquara nº 1526
Avenida Jabaquara nº 1744
Avenida Jabaquara nº 1810
Avenida Jabaquara nº 1812
Avenida Jabaquara nº 1826
Avenida Jabaquara nº 1842
Avenida Jabaquara nº 2285
Avenida Jabaquara nº 2071 com Rua Ibiturana
Avenida Jabaquara nº 1987
Avenida Jabaquara com Rua Paracatu nº 202
Avenida Jabaquara nº 1955 com Rua Paracatu (lado ímpar)
Avenida Jabaquara nº 1729
Avenida Jabaquara com Rua Pereira Estefano
Avenida Jabaquara nº 1465
Avenida Jabaquara nº 1397
Avenida Jabaquara nº 1257
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 69
Avenida Jabaquara com Rua Carneiro da Cunha nº 47
Avenida Jabaquara nº 981
Avenida Jabaquara nº 941
Avenida Jabaquara nº 901
Avenida Jabaquara nº 877
Avenida Jabaquara nº 853
Avenida Jabaquara nº 833
Avenida Jabaquara nº 803
Avenida Jabaquara com Rua Serra Martins nº 23
Avenida Jabaquara nº 697
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara com Rua Guarau
Avenida Jabaquara nº 681

10
Paraciclo instalado em frente aos Correios.

‪#‎BikeZonaSul‬ ‪#‎CicloviasSalvamVidas‬ ‪#‎VaiTerCiclovia‬ ‪#‎VaiTerCalçada‬ ‪#‎PrioridadeParaOsPedestres‬ ‪#‎CidadesParaPessoas‬ ‪#‎CitiesForPeople‬‪ #‎SãoPauloPraPessoas‬

(Equipe Bike Zona Sul: texto e fotos de Thomas Wang)

Anúncios

Bicicletas X Carros: qual é melhor para o comércio?

Você sabia que a infraestrutura para bicicleta atrai mais pessoas do que as construídas para carros?

Pense de forma prática, em uma vaga de carro cabem (pelo menos) seis bicicletas. Ou seja, no estacionamento de uma loja, ao invés de um potencial cliente, a loja pode ter seis.

Se um cliente de carro tiver a facilidade de parar o seu carro, ele ainda será um. Se seis clientes puderem deixar suas bicicletas em segurança, eles serão seis clientes consumindo!

2
Paraciclo instalado pela Prefeitura em frente ao Panda Café, na Rua Domingos de Morais. A maioria dos frequentadores desse restaurante chega a ele a pé ou de bicicleta.


Estudos recentes provam que ciclovias, ciclofaixas, paraciclos e bicicletários são benéficos para os locais onde são instalados. Isso ocorre pois eles transformam a rua em um ambiente mais seguro e agradável, atraindo mais pessoas para ela. Mais gente na rua = mais potenciais clientes.

Construir ciclovias e paraciclos torna as ruas seguras e agradáveis para ciclistas, o que incentiva os pedestres, trazendo cada vez mais gente para a região.

Uma prova bem clara pode ser vista nesse vídeo (https://vimeo.com/83173191 ). Ele foi gravado em Nova York (EUA). Comerciantes registraram que nas ruas contempladas com ciclovias e parklets, seu faturamento aumentou no mínimo 25%, mesmo sem as vagas de estacionamento.

Por isso os comerciantes devem apoiar a construção de ciclovias, assim como devem adaptar seus estabelecimentos para clientes-ciclistas… Eles só tem a ganhar com isso 🙂

#BikeZonaSul #CicloviasSalvamVidas #VaiTerCiclovia

#CidadesParaPessoas #CitiesForPeople #SãoPauloPraPessoas

(Equipe BZS: Thomas Wang)

A novela da ciclovia da Rua Madre Cabrini

Todos já ouvimos falar da novela que está se desenrolando na Rua Madre Cabrini…

Nessa rua, um colégio particular tem brigado na Justiça para que a Prefeitura retire a ciclovia que passa em frente a ele… A foto abaixo mostra como está a ciclovia atualmente:

1
Local onde a ciclovia é interrompida em frente ao Colégio Madre Cabrini. (Foto: Thomas Wang/BZS)

Como é possível ver na foto, a ciclovia acaba abruptamente e o ciclista dá de cara com carros parados ou estacionados. Sim, apesar de ser uma área de embarque ou desembarque, muitos motoristas estacionam ali e ficam esperando as crianças saírem das suas atividades. Isso é um problema pois obriga o ciclista que sobe a Rua Madre Cabrini a contornar os carros parados na contramão, se colocando em risco. Por se tratar de uma ladeira muitos carros/motos/ônibus descem com certa velocidade, podendo atingir os ciclistas que sobem a rua nesse trecho sem ciclovia. Com a ciclovia, o ciclista tinha sua faixa demarcada, podendo subir sem se colocar em risco. 

O Colégio Madre Cabrini que tem como missão “contribuir para a formação de cidadãos comprometidos com a promoção da vida” e é por isso que a CET tem implantado ciclovias, para proteger as pessoas mais frágeis no trânsito, que somos nós, os ciclistas.

6
Vans escolares podem entrar no colégio.

Em sua visão o Colégio Madre Cabrini promete “o desenvolvimento integral do ser humano”, porém se posiciona contra o desenvolvimento da cidade, preferindo atacar políticas públicas que beneficiam o bem coletivo para que possa usar uma área pública como se fosse particular. Se as vans escolares podem acessar a área interna do colégio para fazer o embarque/desembarque de estudantes, por que os carros não podem?

4
Na esquerda: carro estacionado na ciclovia, impedindo a circulação de pedestres e ciclistas. Na direita: carro estacionado em local proibido.

Como uma escola que tem como valores “Compaixão, Justiça, Solidariedade e Responsabilidade social e ambiental” pode ignorar o bem estar e a segurança de dezenas de ciclistas que passam por ali todos os dias? Sem contar as centenas de pedestres, inclusive alunos e funcionários do Madre Cabrini, que andam na ciclovia.

3
O mesmo carro da foto anterior, saindo da ciclovia quando viu eu me aproximar.

A escola alega que a ciclovia coloca “as crianças” em risco, desconsiderando o fato que são os carros que causam a maior parte dos atropelamentos. O que o Colégio Madre Cabrini devia reparar é que na realidade a ciclovia protege/protegia as pessoas, sejam elas crianças ou adultos. A Rua Madre Cabrini possui duas escolas e um cursinho nesse trecho, por onde circulam milhares de pedestres. Sim, são milhares, só o Poliedro tem cerca de 3 mil alunos, sendo que a grande maioria vai de Metrô.

Na foto abaixo, tirada no horário do almoço, perceba que a ciclovia está sendo usada pelas pessoas como se fosse parte da calçada. Justamente porque elas se sentem protegidas dos carros enquanto andam na ciclovia.

5
Pedestres utilizam a ciclovia já que a calçada não é suficiente.

Se a preocupação do Colégio Madre Cabrini realmente fosse a segurança das pessoas, ele não pediria a  retirada da ciclovia, ele pediria a ampliação das calçadas e a instalação de mais faixas de pedestres e mais lombadas.

Vamos demonstrar que queremos a ciclovia ali, demonstre seu apoio à ciclovia CLICANDO AQUI!

Leia mais sobre a Ciclovia da Rua Madre Cabrini nesse post do Vá de Bike.

 

 

Veja o mapa da infraestrutura cicloviária da cidade de São Paulo clicando aqui.

#BikeZonaSul #CicloviasSalvamVidas #VaiTerCiclovia

#PrioridadeParaOsPedestres #CidadesParaPessoas #CitiesForPeople

#SãoPauloPrasPessoas

(Equipe Bike Zona Sul: Thomas Wang)


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:

 

4 estabelecimentos legais para você e sua bike

Com o crescente avanço de ciclovias aqui em São Paulo, o crescimento do número de ciclistas também aumenta cada dia. Muitos estabelecimentos começaram a se adequar para receber ciclistas, mas é sempre legal encontrar estabelecimentos específicos para ciclistas. Selecionamos quatro dos lugares que as portas estão mais que abertas para o ciclista e sua bicicleta, quase destinos obrigatórios. Olha só:

KOF

kof1

O King Of the Fork, ou apenas KOF (sigla que se refere ao KOM, prêmio dado ao ciclista que tem melhor desempenho numa subida, por isso King Of the Mountain), é um espaço que uni ciclismo e gastronomia. Lá eles servem várias comidinhas feitas com muito amor (dá pra perceber desde a recepção), e espaço também tem alguns acessórios para bicicleta, e para o ciclista. E claro, nada mais justo ter um paraciclo na porta para você estacionar sua magrelinha com segurança.

Aro 27

aro1

Aro 27 (nome que se refere à uma estrutura na bike) tem um espaço encantador, é todo decorado, que pra quem ama bicicleta certamente fica boquiaberto. No espaço eles proporcionam serviço como “Park ‘n Shower” onde você pode estacionar sua bike com segurança e tomar um banho numa boa, uma oficina completa para sua bike e uma lojinha com vários equipamentos e acessórios importantes para você que usa bicicleta na rua. Além desses serviços, contam com um cardápio delicioso.

Las Magrelas

 las magrelas1

Lasma (que se refere às magrelas, às bicicletas) é bastante conhecido pelos ciclistas, com um ambiente próprio e até mesmo artístico, eles oferecem diversos serviços pra quem usa ou pra quem quer começar a usar a bicicleta na cidade. Oferecem serviço, e espaço para o serviço na hora que você mais precisa, para não ficar sem sua bicicleta. Além de ser uma bicicletaria, uma oficina, uma loja, e um bar, o ambiente também é ponto de encontro nos vários eventos que acontecem envolvendo bicicleta e mobilidade urbana.

Ciclo Urbano

ciclo2

A Ciclo Urbano é um espaço muito agradável para reunir os amigos, principalmente num sábado. Para quem usa a bicicleta na rua, lá você pode encontrar diversos componentes para adaptar ao seu modelo de bicicleta. Também são servidas algumas comidinhas e bebidas, ideal para quando bate aquela fome. É tudo muito bonito, misturando bicicletaria e decoração vintage.

Resumindo eles são, sem dúvida, os melhores amigos da sua bicicleta (depois de você, claro). Além de oferecerem conforto, oferecem serviços realmente importantes para sua bicicleta. Lembrando que esse post não é um publieditorial, é apenas uma seleção feita a partir daquilo que já foi experimentado e/ou ouvido de alguém. A matéria foi reformulada a partir dessa original. As fotos foram retiradas dos seus próprios meios (face/insta). Vale a pena conferir!